Molhos prontos para salada: será que são saudáveis?

Olá pessoal!

Vocês sabem que sempre tento trazer questões do nosso dia a dia aqui para o site e resolve-las, certo? Então hoje vamos falar um pouco sobre molhos para salada industrializados!

Vou contar uma história…

Um dia eu estava em um restaurante e uma moça (sabendo que sou nutricionista) me perguntou: tudo bem colocar este molho industrializado em minha salada? Virei para ela e disse: sim, tudo bem. Mas certamente você tem opções mais saudáveis com ingredientes que temos aqui mesmo, no self-service.

Se eu falasse: “NÃO! Não use isso! É uma porcaria, fará mal à sua saúde… Bla bla bla..”, ela poderia até deixar de comer sua salada com medo de temperar. EU (Giovana) não sou a favor deste tipo de restrição. Pense: se a pessoa não gosta de comer salada e esta é a única forma de tempero que faz com que ela coma folhas verdes amigas da saúde, eu que não vou impedir. SABEMOS que existem opções mais saudáveis. TODOS sabem. Mas e quando não se tem outra opção? E quando a pessoa está começando a mudar seus hábitos alimentares? Acho VÁLIDO!

Mas é preciso evoluir, treinar o paladar e sempre lembrar que há outras alternativas muito mais saudáveis.

Qual o problema em usar o molho de salada industrializado?

Como sempre digo: o problema está na quantidade. Quanto de molho você vai colocar nessa salada? 1 colher de sopa? 2? 3 colheres de sopa? 4 colheres de sopa?!!! EPA… Isso já pode começar a te atrapalhar.

Para tornar o produto que você encontra nos mercados saboroso, são acrescentadas grandes doses de açúcares, gorduras, corantes e conservantes, substâncias que aumentam o tempo de prateleira destes alimentos.

Por isso você olha na data de validade e pensa: “Oh maravilha! Só vai vencer no ano que vem! “. Mas se este conservante faz o produto ficar tanto tempo lá parado, o que ele vai fazer dentro do seu corpo? É até chocante pensar… Mas é verdade. Como o corpo vai lidar com tanta química? Pra onde vai isso tudo?! Os corantes, responsáveis pela cor artificial destes alimentos, estão associados a hiperatividade em crianças, alergias e até ao desenvolvimento de câncer. Claro que não podemos ficar neuróticos com esse tipo de informação, mas a realidade é a seguinte: são substâncias químicas que não são metabolizadas pelo organismo. Então, o que podem fazer ao nosso corpo ao longo dos anos? Simplesmente não sabemos. Por que não sabemos? Porque estamos expostos à tantas coisas (poluição, água contaminada, alimentação desequilibrada) que culpar apenas o pobre molho de salada seria uma grande injustiça.

Outra situação…

O diabético vai comer a sua saladinha e coloca um molho para salada. Dali duas horas ele faz a glicemia e percebe que seu nível de açúcar no sangue subiu drasticamente. Logo pensa: poxa, mas só comi salada!

Esses molhos geralmente têm açúcar na composição para equilibrar o sabor. Se usado em quantidades exageradas podem elevar a glicemia. Portanto fiquem atentos aos rótulos e prestem atenção nos ingredientes do produto.

E o sódio?!

A incidência de doenças crônicas não transmissíveis como a hipertensão está crescendo cada dia mais entre os brasileiros e isso é algo preocupante. O problema não está no uso do molho de salada industriliSO, mas sim na soma de todo o sódio que a pessoa consome ao longo do dia (obviamente que se ela exagerar na quantidade do molho, esta conta só vai subir). São MUITOS produtos ricos em sódio que o brasileiro ingere ao longo do dia. Quer ver?! Vamos fazer aqui uma suposição do dia do José (personagem que acabei de inventar).

Lá vem outra história….

De manhã o José acorda e toma um copo enorme de leite com achocolato (rico em sódio) e um sanduíche com presunto, mussarela e salame (ricos em sódio). No meio da manhã, bateu uma fome e ele comprou um pacote pequeno de salgadinho (muito rico em sódio) e um refrigerante (rico em sódio) para dar aquela animada até o almoço. No almoço ele comer muito macarrão com molho de tomate industrializado (rico em sódio) e um pedaço de torta congelada (rica em sódio). No meio da tarde, um pacote de biscoitos (rico em sódio) e à noite, terminou com a torta congelada (rica em sódio). Antes de dormir, só para encerrar o dia, uma barra de chocolate branco (rico em sódio).

PRONTO! Ele extrapolou a recomendação diária de sódio e apesar de ter feito 6 refeições por dia (o que seria considerado o ideal), são refeições lotadas de calorias e sem nutrientes. A chance dele ganhar peso e ainda estar desnutrido são grandes. E agora te pergunto: vale a pena? E pergunto mais: com todo o dinheiro que ele gastou nisso tudo aí, ele não poderia ter comprado frutas?!

Mas o sódio tem sua importância e é necessário!

Ele tem suas funções em nosso organismo, e funções extremamente importantes. O erro e perigo está sempre na quantidade (sim, ela de novo!). Você pode sim comer seu molho de salada industrializado, mas não deve comer o molho e ainda tacar sal em cima… Isso é o tal do equilíbrio!

É como o caso da azeitona: falam tão mal da azeitona, mas da onde vem o azeite? E se eu colocar um monte de sal na salada com azeite? Tão ruim quanto… E se eu colocar só a azeitona e não colocar o sal? Pronto! Para tudo se tem um jeito, minha gente. Se a pessoa AMA azeitona, eu vou tirar isso dela?! NÃO!!!  Vamos parar com essas neurosas malucas. Nutrição NÃO É ISSO de “pode” e “não pode”. Ninguém aguenta mais esse papo!

Um outro “probleminha”…

Preciso apenas alerta-los sobre alguns componentes presentes neste tipo de alimento e em outros que existem por aí (informação é importante, neurose não).

Um desses componentes é o glutamato monossódico. Já ouviu falar nele? Trata-se de um aminoácido que intensifica o sabor dos alimentos. Ele tem um nome comercial famoso (sabe aquele tempero que você coloca na pipoca e fica bem salgada e saborosa? Pois é… É o senhor glutamato monossódico dando um “oi” para seu corpo). Ele também aumenta o tempo de prateleira dos produtos e está associado com casos de enxaqueca, hipertensão arterial, etc. Mas e se eu comer minha pipoca com esse tempero só de vez em quando? Ah gente, de vez em quando não tem problema! Agora, comer o bife da mamãe todos os dias com glutamato monossódico em boa quantidade, isso sim pode te prejudicar.

Dicas para molho de salada caseiro, natural e saboroso

Vou te ensinar uma proporção que não tem erro para fazer um molho de salada bem saboroso e saudável:

  • Pegue um recipiente pequeno e coloque 2 colheres (sopa) ou 1/2 xícara (chá) de óleo (um dos melhores que você pode utilizar é o azeite de oliva extravirgem, mas se quiser usar óleo de girassol ou outro óleo vegetal de sua preferência, sem problemas! Você pode misturar também e colocar 1 colher de sopa do azeite de oliva + 1 colher (sopa) de óleo de linhaça ou chia, ricos em ômega-3, um nutriente que falta em nossa alimentação, por exemplo) + 1 colher (sopa) de algum alimento com sabor ácido (suco de limão, vinagre balsâmico, de maçã, arroz ou de vinho…) +3 colheres (chá) de ervas frescas (orégano, manjericão, alecrim, coentro, cebolinha, tomilho...). Se ainda achar que faltou um sal, coloca só uma pitadinha de leve e para aumentar os nutrientes do seu molho, troque o sal refinado pelo sal marinho ou sal rosa.
  • Para realçar mais o sabor desse molho caseiro, você pode usar alho, mostarda Dijon, manga ou morangos, por exemplo. Aliás, a combinação da rúcula com seu sabor picante e amargo combina muito bem com um molho de manga e morangos picados…
  • Se você curte uma consistência cremosa no molho, que tal tentar trocar a maionese pelo iogurte natural desnatado ou grego sem sabor e sem açúcar? Fica ótimo e mais saudável! =D
  • Para quem gosta de um sabor agridoce na salada, acrescentar 1 colher (chá) de mel ou melado de cana faz toda a diferença. A mistura do suco de limão + vinagre balsâmico + mel + azeite fica SENSACIONAL. Você pode colocar a proporção que mais agradar seu paladar. Então enquanto faz, vai experimentando. Aliás pessoal, experimentem a comida enquanto preparam… Isso ajuda a evitar excessos desnecessários. 

Bom, espero que tenha ajudado vocês de alguma forma e volto com mais dicas no próximo post! YES!!!!!

Com amor e saúde,

Giovana Morbi

8 Comentários

  1. por Raquel - 10 de julho de 2015  23:52 Responder

    Gostei bastante. Concordo com o q vc disse, q nutrição não é isso de “pode” e “não pode”. Se vc ama muito algo que faz mal, acho q não precisa parar de comer, apenas diminuir. Isso que tô tentando fazer.
    Adoro o molho industrializado, mas tento comer a salada misturada na comida, que aí não sinto tanto o gosto.
    Uma pergunta: presunto faz muito mal? Porque como quase todos os dias e AMO. Ah, e qual seria o melhor acompanhamento no pão? Manteiga, margarina, requeijão, maionese...?
    Abraço \o

    • por giovana - 12 de julho de 2015  11:11 Responder

      Oi Raquel!

      Pois é, por isso as pessoas começaram a achar esse assunto chato! E realmente, se ficar no "isso pode", "isso não pode", fica um assunto chatão mesmo!
      Então, depende da quantidade de presunto que você come todos os dias. Uma fatia pela manhã ou a tarde não fará mal... Tente optar pelo presunto magro!
      Acompanhamento para o pão: manteiga é BEM melhor que margarina, requeijão é melhor o com pouca gordura, sabe?! Você também pode usar o queijo cottage, creme de ricota, cream cheese light. Todos esses são boas opções! Beijão linda, Giovana Morbi

  2. por José Henrique Benício Moreira - 20 de setembro de 2016  14:23 Responder

    Oi Raquel!


    E quanto tempo dura um molho desses?
    Sou preocupado com a validade deles.

  3. por Renata - 11 de outubro de 2016  0:24 Responder

    Adorei as dicas!

    • por giovana - 16 de outubro de 2016  17:21 Responder

      Que bom, Re!

      Super beijo,
      Giovana Morbi

  4. por Adison de Almeida - 10 de novembro de 2016  12:27 Responder

    Oi Giovana, boa tarde!
    Me "divorciei" do sedentarismo a pouco mais de três meses; eu estava com 19kg acima do meu peso. Antes comia quatro pães por dia, não almoçava direito e comia toneladas na janta; mudei meus hábitos a pouco mais de três meses comecei a correr na esteira (5km por dia, 4x na semana) e tomo café ao sair de casa as 6, dp as 9h como uma maça ou duas bananas, as 12h almoço pouca arroz e pouco feijão, carne e muita salada, (as vezes só salada e carne, corto arroz e feijão mesmo no almoço) coloco na salada farelo d aveia, semente de chia triturada e o tal de "molho industrializado"; as 15h de novo uma maçã ou duas bananas, as 18h janto só salada e alguma carne e finalmente as 21h tomo um café c leite e duas ou tres bolachas água e sal. Perdi em 15kg em pouco mais de dois meses; de 96 fui para 81kg; o que quero saber é o seguinte:
    As vezes troco as frutas das 9h e 15h por iogurte/danone (industrializados) ou por alguma barra de cereal;
    Me dissera que essas barrinhas de cereal também fazem engordar,; gostaria de saber sua opinião sobre elas, sobre o iogurte e se estou no caminho certo ou fazendo ainda algo errado.
    (Desculpe o texto logo, mas precisava explicar minha rotina)
    Abraço e muito Obrigado!
    Adilson Almeida.

  5. por Adison de Almeida - 10 de novembro de 2016  12:40 Responder

    Ops!
    Esqueci de dizer que tomo dois litros de chá de gengibre por dia, claro que vou tomando aos poucos durante o dia.
    (corto em raspas a noite, fervo por dez minutos e vou tomando durante o dia).

    Adilson Almeida.

    • por giovana - 10 de novembro de 2016  15:19 Responder

      Parabéns Adilson!

      Está no caminho certo! Esse divórcio do sedentarismo foi a melhor decisão que tomou em sua vida!

      Super beijo,
      Giovana Morbi

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.